Siga-me

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Uma Igreja que respire Povos Não Alcançados

Como você conheceu o Evangelho? Certamente Deus levantou alguém em algum dia para lhe falar de Jesus. Como você foi confrontado com a realidade de um Deus que te ama a ponto de mandar seu próprio filho para despir-se de sua glória e viver como homem, sofrer em sua crucificação para remissão de nossos pecados e ressuscitar ao terceiro dia para expor sua glória e poder? Note que não estou perguntando “como você entrou para a igreja? ” E sim, COMO VOCÊ CONHECEU O EVANGELHO.
Acontece que no mundo hoje existem, segundo o Joshua Project, aproximadamente 7000 povos que nunca ouviram falar de Jesus, ou seja, mais de 3 bilhões de pessoas nessa situação! No Brasil, segundo o Joshua Project, há mais de 115 mil pessoas que sequer sabem que Jesus existe, isso sem contar os Surdos, os quilombolas, os ribeirinhos, os ciganos, os mais ricos e os mais pobres. Muitas dessas pessoas não têm a Bíblia em seu idioma, não têm a presença de igreja ou de missionários. São os Povos Não Alcançados.
Se o nosso coração não se aquece em ardor e amor por esses Povos, por essas pessoas, possivelmente não entendemos o valor e a importância do Evangelho. Um dia Jesus nos alcançou e hoje podemos adorá-Lo e glorificá-Lo livremente, mas há pessoas que não têm a mesma oportunidade. John Piper diz que ‘existe Missões porque não há adoração’. Onde não há adoração é necessário que haja a pregação do Evangelho. Isso é preocupar-se com a expansão global da glória de Deus, é dizer como o Salmista: Todo ser que respira, louve ao Senhor (Sl 150;6).
É necessário e urgente cumprir o IDE de Jesus. Ser homens e mulheres impactados pelo amor de Deus e que desejam ardentemente que mais pessoas sejam impactadas por esse amor! Precisamos orar constantemente pelos Povos Não Alcançados, pensar nos Povos Não Alcançados, dormir pensando nos Povos Não Alcançados, respirar Povos Não Alcançados! Não devemos nos conformar com o fato de que mais de 3 bilhões de pessoas não têm contato com o Evangelho, e mais de 115 mil só no nosso país! Não podemos ter apatia à essa realidade. Não podemos fingir que ela não existe. Não podemos nos fechar na nossa bolha da rotina, nas programações fechadas, nos isolar no nosso mundinho de fantasia e relações sociais, enquanto pessoas morrem sem saber que Jesus as ama e morreu na cruz por elas!!
A igreja não é um clube social, é uma agência do Reino de Deus, é o Povo de Deus reunido, o interesse da igreja deve ser proclamar a glória de Deus entre as nações, inclusive na nossa! Igreja vem do grego Ekklesia (Ek = fora, Kaleo = chamar) ou seja, igreja significa “chamados para os de fora”. Não é papel da igreja ser um repolho que cresce para dentro, mas a igreja deve pensar e agir para fora de seus muros. O cristão deve pensar para fora de seu próprio umbigo. Quando pensamos assim, vemos que tudo para dentro é secundário, que a igreja deve investir seu tempo e recurso para os de fora. Que a igreja e seus membros devem pensar, agir e orar em favor dos Povos Não Alcançados. Respirar Povos Não Alcançados!

Lucas Pinheiro

sábado, 24 de junho de 2017

Por que a apatia toma nosso coração?



Sim, existem milhares de Povos Não Alcançados. Existem milhares de pessoas que nunca ouviram falar de Jesus mundo afora. Existem pessoas que morrem sem ouvir falar de Jesus, sem dar glória a Deus. Porém, mais impressionante que esses fatos é a apatia de muitos cristãos à essa realidade. A Palavra de Deus deve ser pregada prioritariamente a esses povos, aos povos que não tiveram contato com Evangelho, acontece que muitas vezes nossas igrejas estão ensimesmadas. Mergulhadas em sua própria realidade, afundadas em suas próprias programações infrutíferas, crescendo pra dentro... (Crescer pra dentro é desenvolvimento ou inchaço?). Igrejas que se preocupam com sua própria estrutura física, mas não se preocupam em expandir o Reino de Deus, têm sua gestão financeira voltada a tantas coisas enquanto Missões é só uma porcentagem ínfima e protocolar pra fingir que se preocupa. Isso é resultado de uma apatia de quem entende que a igreja é um clube social, um lugar apenas para construir relacionamentos e consumir palavras que agradam, ou talvez a igreja seja um ponto de encontro pra lanchonete mais tarde. Mas o que essa apatia esconde é que a igreja é agenciadora do Reino, é o Corpo de Cristo, é o local onde Deus faz suscitar vocações, é o local a partir do qual Deus quer transformar a sociedade e o mundo através da pregação do Evangelho. Se não prega o Evangelho não é igreja. Se não faz missões não é igreja.
A apatia toma conta do nosso coração quando não temos uma vida de oração. Não é possível amar missões, se não oro por mais missionários. Impossível que o coração se aqueça de amor pelos Povos Não Alcançados se não tiver oração pessoal clamando por esses povos. Não tem como o coração se arder pela proclamação do Evangelho se não há oração íntima nesse sentido! Há apatia porque não há oração. Há apatia porque não há relacionamento com Deus. As vezes somos tão orgulhosos de ter uma liturgia, músicas e pregação cristocêntricas, mas temos um comportamento totalmente antropocêntrico. Ou seja, somos supostamente cristocêntricos em nossos cultos dominicais e totalmente antropocêntricos em nossa relação com Deus. Sem oração, sem meditação da Palavra,  sem pregar o Evangelho pra quem está próximo de nós, sem apoiar a pregação do Evangelho para Povos Não Alcançados, sem ter o coração voltado à Missão de Deus no mundo. Estamos muitas vezes apáticos. Cumprindo protocolos religiosos, sentando no banco da igreja sem perspectiva.
O que vai fazer nosso coração se aquecer é a intimidade com Ele adquirida através da oração e da meditação da Palavra.

Lucas Pinheiro

quinta-feira, 15 de junho de 2017

10 Reflexões sobre Igreja Local & Missões


1 - Não há missões sem Igreja Local.
2 - Não há Igreja Local sem missões
3 - Missões não é para aventureiros, é para quem entende que sua Vocação é nascida e amadurecida na Igreja Local.
4 - Missões pode ser emocionante, mas não romantizado.
5 - Se não for enviado por uma Igreja Local não é missionário, é um turista cristão.
6 - É dever da igreja Local formar os novos vocacionados. Lhes proporcionando o discipulado, os estudos teológicos e condições de exercer sua Vocação na Igreja Local.
7 - A Igreja Local deve enviar seus próprios membros para o campo. Do banco da igreja para o campo missionário.
8 - Quem não é bênção em sua própria cultura e contexto não será em contexto transcultural.
9 - A Igreja Local deve sustentar financeiramente missões ao redor do mundo.
10 - A Igreja Local deve pensar e colocar recursos em Missões. Se as contas e burocracia da igreja superam o orçamento para missões, há algo no mínimo questionável.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Esquerda ou direita, o que está certo?

Your Website Title
How to Share With Just Friends

How to share with just friends.

Posted by Facebook on Friday, December 5, 2014

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Indignação seletiva


A Síria registra atualmente mais de 470 mil mortes em uma sangrenta e longa guerra em que não existe quem tenha razão, onde quem sofre é a população civil, seja na mão do grupo terrorista "Estado Islâmico" (ISIS) ou na mão do ditador Bashar Al Assad, ou ainda pela ambição americana ou pela tolice russa. A guerra da Síria produziu mais de 2 milhões de feridos e outros milhões de refugiados que arriscam suas vidas em mar aberto, ou fronteiras perigosas, tudo para salvar a suas vidas e de seus filhos.
Criança não tem o direito de ser criança na Síria, a mulher não tem direito de ser mulher na Síria, o homem não tem direito de ser homem na Síria. A única escolha que vc tem na Síria é escolher se morre com gás químico de Assad, morre com torturas do ISIS, morre com mísseis tomahawk, por soldados russos, ou afogado na Mar Mediterrâneo tentando fugir desse inferno. Essa é a situação atual da Síria.
Cristãos são perseguidos e presos por pregarem a Palavra de Deus (Isso se tiver a sorte de ser pego pelo regime de Assad).

Se o cristão for pego ISIS é decapitado, crucificado, asfixiado, incendiado, torturado e filmado para expor na internet.
Assim é ser cristão na Síria.

Assim é ser civil na Síria.
Essa situação lhe causa indignação?

Ao me deparar com os assuntos das redes sociais hoje, vejo indignação e discursos efusivos e apaixonados apenas com quem saiu ou deixou de sair de um reality show.

Sério?

Quais são nossas prioridades na humanidade?
Quem vai vencer um reality show, ou o show de realidade que tem como palco a Síria e Oriente Médio?
Parece que estamos anestesiados! Hipnotizados e só queremos assistir a TV e ver intriga, fofoca, discussões e parece que isso nos preenche. Enquanto parece que não temos um pingo de humanidade para olharmos o nosso semelhante que sofre em lugares longínquos.
Parece que quem vence um reality é prioritário sobre quem vence a prova de resistência do gás sarin de Assad.
Vamos acordar, meu povo!
É triste ver a indignação seletiva baseada em situações fúteis que não merecia nem ter espaço na grade das emissoras de TV. Mas o que me assusta não é estar nas grades das emissoras, mas na televisão de uma família contribuindo para destruir conceitos e valores.
Dessa vez o povo sírio tá no paredão, e a eliminação é por gás químico.
Oremos pelo povo da Síria


Postagem em destaque

Estabelecendo a cultura cristã

Estabelecendo a  Cultura Cristã Existe uma passagem na Bíblia que gosto muito de ler, de refletir e de orar: “E não vos conformei...